Mon Amour

...

Quanto tempo é necessário para esquecer um amor?

Postado por - 22/11/2016

Textos   0 comentários

b

Quando alguém lhe toca de uma maneira que você jamais imaginaria que poderia ser tocado e tudo que você sabia sobre o amor passa a se tornar descartável, a vida te mostra que não é tão difícil assim abrir mão de suas certezas. Acreditar no inimaginável não parece tão ruim quando se tem uma experiência única perante ao amor. Mas, e quando esse amor resolve ser aniquilado por um (ou ambos) dos lados, como proceder?

Se você chegou aqui achando que teria uma resposta exata para o título deste texto, desista, pois o laboratório de ciências humanas Mon Amour não trabalha com números. Não adianta, ainda não existe uma fórmula cientifica que identifica um número X de dias, meses ou anos para se esquecer um relacionamento de mesmos dias, meses ou anos. O que existe é saber no que você irá se concentrar após o término e que, como tudo na vida, isso também exige equilíbrio. Buscar todas as distrações possíveis para tentar fugir dos seus próprios pensamentos, não irá resolver suas dores e sim lhe fará acumular rancores desnecessários e culpas inexistentes. Do mesmo modo como ficar apenas se lamentando, chorando pelos cantos e tendo pena de si mesmo não irá.

Deixar pessoas importantes em nossa vida irem embora nunca é e nunca será uma tarefa fácil, ainda mais quando elas partiram por escolha própria, mas existem sim umas coisinhas que podem nos ajudar a amenizar essa dor. Em primeiro lugar (fase 1), você terá de deixar a dor aparecer, no começo pode ser difícil, pois você poderá estar contaminado pelo mal ilusório do “estou livre, uhul” (mas logo isso passa, não se preocupe). Em segundo lugar, quando essa dor aparecer (e sim ela vai aparecer) você terá de encontrar uma maneira não muito autodestrutiva de lidar com ela (recomendo músicas tristes, lenços e alguns dos meus textos), provavelmente aqui você irá intercalar os choros de raiva com os choros de “mas a gente tinha tanto potencial” e provavelmente irá querer estagnar nesta fase eternamente – não faça isso. Muitas pessoas se deixam passar batidas por essa fase, como se não fosse preciso, mas não esqueça ela é muito importante e serve também para reanalisar todos os “erros” e “acertos” cometidos até então, por tanto ela se torna inadiável – o sucesso das fases posteriores depende disso.

Se você conseguiu passar pelas fases citadas acima de forma esplêndida e chegou aqui orgulhosamente com a cara inchada, vamos continuar. As seguintes fases irão lhe exigir um pouquinho mais de esforço, ou seja, você não poderá passá-las apenas estando com a cara enfiada entre o travesseiro. A terceira fase é a que eu costumo chamar (acabei de invetar) de “fase das gavetas”, é nela que você fará a separação do que fica, o que será filtrado e o que será descartado. Na gaveta do que deve ficar (popularmente conhecida por mim como a gaveta do carinho) estarão seus bens mais preciosos, coisas como a primeira vez que vocês se viram, o primeiro beijo, o pedido de namoro e/ou um simples passeio de bicicleta – tente permanecer firme aqui. Na gaveta do descarte estarão as lembranças mais pesadas, provavelmente ela contará com promessas nunca cumpridas, “verdades não verdadeiras” e algumas discussões – essa gaveta poderá ser destruída no futuro. A última gaveta é com certeza a mais importante delas, a gaveta dos porquês, aqui você irá colocar todos os motivos de vocês terem se afastado, guarde nela o modo como você estava se sentindo nos últimos momentos em que vocês passaram juntos, quais seriam os porquês de vocês não estarem abraçados neste exato momento e até mesmo o que vocês desgostavam um no outro.

A quarta fase é aquela que todos querem te obrigar a começam mesmo sem você ter concluído as fases anteriores, ela se chama seguindo em frente bravamente – ela também pode ser feita juntamente com as fases antecedentes, mas jamais sem elas. Dentro dela é possível conter muitas subfases que poderão ser inventadas por você mesmo com o tempo, mas vou lhe apresentar as mais comuns e de efeito positivo pra mim. Provavelmente alguém que te ama e se preocupa contigo irá querer te animar sugerindo programas que, momentaneamente, parecerão (e inicialmente serão) chatos e você irá querer negar o convite ou achará uma forma extremamente ninja de fugir dele, tente não fazer isso, aceite os convites, saia de casa, se esforce e esteja lá (seja lá onde quer que for). Outra coisa que essas mesmas pessoas irão tentar fazer é conversar sobre o termino, então aproveite a oportunidade, abra seu coração e fale sem medo – às vezes nesses papos saem umas verdades que você realmente precisava ouvir. Caso conversar não seja muito seu estilo, escreva – “vomitar” palavras é sempre libertador.

Minha próxima dica é: seja feliz. Simples, né?! “Fácil falar, Evelise, não existe fórmula pra isso também” e eu digo que existe sim, o nome é serotonina e dopamina (science, bitch!). Faça atividades que elevem esses neurotransmissores que são responsáveis pela felicidade e sensação de bem-estar; saia para caminhar por aí com fones de ouvido; ande de bicicleta; corra; nade; se alimente de uma forma mais saudável; beba muita água; coma chocolates e você terá muito mais motivos para sorrir. Por último, não deixe de olhar para dentro de si, os momentos que temos sozinhos são os mais propícios para o auto-conhecimento, cuide de você de todas as formas possíveis, pratique o amor próprio e quem sabe, esteja pronto para receber um novo amor.

Provavelmente você irá querer voltar para a fase 2 muitas vezes ao longo da sua jornada e terá que relembrar da fase 3 constantemente, mas tudo bem, isso faz parte do processo. Quanto a pergunta inicial sobre esquecer um amor, sinto lhe informar, mas não existe esse negócio. Existem sim algo chamado lembrança e saudade, esses são os sinônimos de para onde um amor deve ir, pois se foi amável é porque foi digno disso, de seu tempo e dedicação. Se lhe fez crescer de alguma forma, nem que seja apenas como aprendizado, a única coisa que ele merece é agradecimento. Então agradeça por este amor, pois por mais errado que as coisas parecem terem dado, ao menos você teve a oportunidade de ter feito parte de algo tão grandioso. Guarde ele com carinho em um potinho e não tenha medo algum de seguir adiante.

Lembre-se sempre que amor quando doado não se subtrai, ele se multiplica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *