Mon Amour

...

Quando o amor bater à sua porta não tenha medo de abraçá-lo e oferecê-lo um café

Postado por - 28/07/2016

Textos   0 comentários

405311390_1280

Para ouvir lendo

Eu sei que tudo até aqui parece ter dado errado. Eu sei que se alguém chegar nesse momento, você estará vestindo uma armadura e buscando o lugar mais alto e distante pra se proteger. Eu sei que no fundo você até espera que alguém tente, mas é assombroso pensar em dividir seu caminho com alguém quando você acha que já percorreu os piores obstáculos sozinho. Não tenha medo de amar, não tenha medo de se entregar, de sentir e de gritar o que seu coração mandar.

Eu sei que todos andam dizendo por aí que as pessoas não amam mais e que não se preocupam com o que os outros sentem. Mas a realidade é que tá todo mundo perdido, tá todo mundo com tanto medo de se machucar que acaba achando melhor não sentir nada, ou melhor; tentar não sentir. A gente tá sempre com medo de se machucar e buscando por aí conselhos com gente tão perdida quanto a gente. O resultado: volta-e-meia surgem cicatrizes que nem sabemos de onde vieram. Provavelmente elas são a junção de uma porção enorme de ressentimentos, coisas não ditas e de “e se?” que preferirmos manter escondidos.

Chega a ser cômica a quantia de livros, músicas e filmes feitos a partir do amor e como no final você percebe que todos são contraditórios. Nunca houve receita, nunca houve resposta certa ou errada. O que é o amor? Como se sabe quando é amor? Amor é amor, poxa! Não precisa ser explicado, muito menos interpretado. Então, se um dia você tiver a sorte de ele aparecer na sua porta, não se poupe. Se permita e ponto! Vá sem medo de pensar o que os outros acham disso, seja sincero com você acima de tudo e nunca se permita ser infeliz.

Pior que sofrer por um amor que deu errado, é sofrer por algo que você nem sequer se deu o prazer de descobrir. Quando se encontra o amor você percebe o quão ilimitado ele é e, então, descobre que quanto mais você ama, mais ele aumenta e mesmo que não dê certo com alguém, a tristeza vira paz. Porque por mais que lá fora as coisas pareçam um furacão e que no começo suas lágrimas se tornem involuntárias, dentro do peito você vê algo crescer. Você acaba percebendo o quão capaz você é de amar, o quanto transbordante um sentimento pode ser e passa a se tranquilizar com isso. Ao invés de pensar  no porque das coisas terem dado errado, você passa a ser agradecido por tê-las vivido. Então, se nesse momento você está em dúvida sobre dizer ou não, sentir ou não, vai sem medo, não se permita guardar esse amor só pra ti (afinal o mundo tá precisando de amor, né?), espalhe ele por aí, tente!

Se assustar o outro, azar (nem todo mundo tem coragem de se jogar), mas por favor, não seja a pessoa medrosa da história. O amor baterá pouquíssimas vezes em sua porta ao longo da estrada, pode ter certeza. Talvez ele seja apenas uns dos melhores finais de semana que você irá viver, mas “e se” talvez, daqui uns 50 anos, ele dance com você na sala de estar ao som de um disco qualquer enquanto as cortinas balançam?! O fato é que você só vai descobrir se tentar. Pode ser que esse tentar seja a coisa mais difícil que você fará, mas também pode ser uma das coisas mais incríveis que você sentirá em toda a sua vida.

“Você vai encher os vazios com as suas peraltagens
e algumas pessoas vão te amar por seus despropósitos”

                                                       – Manoel de Barros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *