Mon Amour

...

Better if we’d been born as siamese songbirds

Postado por - 22/10/2015

Textos   0 comentários

IMG_3349-Recovered-Recovered

Era impossível não perceber quando ela estava chegando. O vento ventava mais forte, as cores coravam mais vibrantes e a vida se tornava mais viva. Ela nunca foi dessas pessoas fáceis de se entender, é impossível defini-lá, mas isso é o que realmente lhe torna especial e única, o fato de não precisar ser explicada.

Desde o primeiro olhar é impossível não notar algo diferente, que intriga e te deixa curioso. Não é fácil encontrá-la por aí, ela não pertence a lugar algum, então se algum dia você tiver essa extraordinária sorte de esbarrar com ela em uma esquina qualquer, não deixe que a oportunidade de conhecê-la escape. Porém, já vou lhe avisando, não se iluda, ela não é o tipo de garota que irá permanecer em algum lugar além da sua memória.

Vocês irão viver momentos mágicos, fazer longas caminhadas noturnas em que em certos dias não lhes faltará assunto e em que diversos outros nem mesmo palavras serão necessárias. Pode ser que vocês tentem se exercitar, mas possivelmente todo o esforço será “recompensado” com a ingestão de milhares de calorias em porcarias. Suas bochechas vão doer de tanto rir com suas longas conversas antes de dormir. Vocês irão morar dentro de abraços de encontros e despedidas que você vai desejar que não acabem nunca.  Vocês irão chorar também e vê-la triste pode acabar com o coração de qualquer um.

Ela pode muitas vezes não perceber o quão forte ela é e a vida pode querer provas disso tantas outras, mas ela jamais irá deixar de iluminar o ambiente ao chegar, de fazer com que seus olhos brilhem só de ouvir seu nome e de roubar sorrisos involuntários de sua boca. Ela pode não saber o que falar quando te vê triste, mas sabe exatamente o que fazer para te alegrar.

Ela é um samba do Chico tocando na vitrola, é um filhote de panda dando cambalhotas, é o vento que sopra antes de uma chuva de verão que vem acompanhada de um arco-íris logo atrás, é alegria e intensidade. Ela é linda e mal se dá conta disso. E é o tipo de saudade que merece ser sentida, porque lembrar dela aquece o coração. Então não deixe de aproveitar cada minuto ao seu lado, não desperdice um segundo sequer e os guarde em um lugar seguro (pode ser no peito ou em uma gaveta cheia de lembranças em forma de fotografias). Ela pode bater na sua porta a qualquer minuto, ou pode viajar para o Japão amanhã, pois não se esqueça; ela não pertence ao mundo, o mundo é que pertence à ela.

*Esse texto é dedicado à srª Alyssa T.

Mordida – Tokyo

“You said life ain’t a highway”

Beijos e até logo,

Eve

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *