Mon Amour

...

Como emagreci mais de 15kg

Postado por - 04/12/2017

Saúde   2 comentários

comoemagrecer

Pra quem não sabe, agora eu tenho um canal no YouTube! Eu ainda estou começando a criar intimidade com a câmera (mesmo que o fato de falar sozinha sempre foi algo normal pra mim) e com o tempo acredito que eu consiga ser mais eu mesma nos vídeos. Enfim, eu resolvi gravar um vídeo sobre um dos assuntos mais pedidos no meu perfil do Instagram: o meu emagrecimento.

Da mesma forma que iniciei o vídeo, quero começar o texto dizendo que estou apenas compartilhando minha experiência com vocês e aconselho sempre que antes de fazer alguma mudança de hábito – tanto na alimentação, quanto na prática de exercícios físicos – é indispensável uma visita a um profissional da saúde.

Quero dizer pra vocês que nossa imagem – “ser bonito(a)” – jamais deve depender de fatores externos. Estar bem consigo mesmo é algo que tem que vir de dentro, pois todos – altos, baixos, gordos, magros – temos o direito de ser quem somos e devemos nos amar de todas as formas. A gente tem que ser saudável físico e mentalmente.

Optar por uma vida mais “leve” e saudável foi uma das melhores escolhas que já fiz por mim. Amor próprio, pra mim, é respeitar e cuidar de si mesmo. Não tem que ter haver com ser igual a garota da capa da revista e sim de se sentir bem consigo mesma. Meu emagrecimento foi resultado de uma mudança muito além da casca que visto, ele é apenas uma das muitas consequências que a busca constante por autoconhecimento trouxe pra mim.

Os únicos padrões que devemos seguir são os que nos levam a alcançar ainda mais nossa felicidade e plenitude. O único corpo ideal é aquele que tem gente feliz dentro.

Espero que neste vídeo (e nos demais do canal) eu consiga demonstrar isso pra vocês:

Não esqueçam de se inscrever no canal e curtir o vídeo. <3

Um beijo no coração e até logo!

Me acompanhe também nas redes sociais:

Facebook    Instagram   YouTube

 

Ir no sentir

Postado por - 22/11/2017

Textos   0 comentários

Cabelo "avoando" no Morro Torre Amarela - Paraná

(Cabelo “avoando” no Morro Torre Amarela – Paraná)

Sempre que um amigo vem conversar comigo, pedindo conselhos para tomar uma decisão importante em sua vida, eu respondo a mesma coisa: vá no sentir. Pode parecer clichê e dê certa forma é, mas é difícil aconselhar de outra maneira, pois ninguém é capaz de tomar decisões importantes na sua vida, além de você. Num mundo utópico, se pudéssemos colocar essa responsabilidade nas costas de alguém seria bem mais fácil, afinal, quando as coisas dessem errado, nós teríamos alguém para culpar.

Na vida real nem sempre sabemos quais as escolhas se tornarão certas ou erradas para nossa vida mas, de uma coisa podemos ter certeza: uma hora temos que decidir. Se formos “empurrando com a barriga”, sem saber o que queremos, acabamos aceitando o que vier e quando percebemos pode ser tarde. Olharemos para trás cheios de arrependimentos e angustias.

Muitas vezes achamos não saber a resposta, mas na verdade apenas estamos ignorando a nossa voz interior. É a ansiedade presente no dia a dia, é a raiva sem ter “motivos” óbvios e às vezes, a tristeza repentina. “Aceita que dói menos” nem sempre é um bom conselho.

É normal ter medo do desconhecido, mas aceitar situações que podem ser mudadas pelo simples medo de ter que encará-las não pode ser um costume. Não estou dizendo para você começar a mandar tudo pro espaço e ir vender sua arte na praia – se bem que essa também é uma opção. Estou aconselhando que você procure mudar os hábitos que podem estar te fazendo mal. Tente consertar o relacionamento que não está indo bem, dê o seu máximo no trabalho, busque melhorar em todas as áreas da sua vida. Mas se mesmo tentando ao máximo as coisas não mudarem, não tenha medo de desapegar delas.

Não tente caber onde você não pertence mais, não se “esprema” e se force a ficar pelo medo de no futuro não ter um lugar seguro e habitual. Saia da zona de conforto e se dê o respeito que você merece.

Muitas vezes procuramos soluções nos lugares errados, não busque externamente as respostas que estão dentro de você. Só o nosso interior é capaz de nos mostrar o que é certo e verdadeiro pra nós mesmos. Ouça sua intuição, se conecte com você mesmo, corra atrás de sua felicidade e encontre algo que faça seu coração pulsar.

Vá no sentir.

Me acompanhe também nas redes sociais:

Facebook    Instagram    Twitter   YouTube

Sobre o prazer de se estar aqui, agora

Postado por - 05/08/2017

Textos   0 comentários

IMG_7369

Pare tudo que está fazendo por um segundo e observe. Apenas observe tudo que está a seu redor agora, qual o cenário e objetos/pessoas que te rodeiam? Qual o cheiro do lugar onde você está? Como está o clima? Quais os sons que você escuta neste momento? Ok, agora volte a prestar atenção neste texto. Aqui e agora.

Muitas vezes não percebemos como é fácil não estar presente, mesmo que sem sair do lugar. Já se tornou rotineiro estar na rua, restaurantes ou bares e ver pessoas com os celulares na mão, mesmo quando acompanhadas de outras. Sempre tem alguém em algum lugar tentando manter uma conversa e acabando falando sozinho, ou tendo de repetir tudo o que havia acabado de falar. Nossa realidade é tão acelerada, com horários tão urgentes e constante movimento que, se não fosse essencial, esqueceríamos até mesmo de respirar.

Quero compartilhar com vocês aqui (e agora) sobre um exercício diário que estou tentando fazer de uns tempos pra cá; o “estar aqui”. Confesso que não é uma tarefa fácil, afinal, sou mais uma pessoa dessas pessoas ansiosas que quando não está pensando no futuro, está relembrando o passado. Mas quanto mais eu faço, mais eu percebo o quanto estar presente onde estou, de corpo e alma, só vem me fazendo bem.

Não adianta, temos que criar consciência de que o futuro não pertence a nós, afinal, a vida sempre vai encontrar uma maneira de nos surpreender. Estar presente não é apenas conversar com alguém ou “levar seu corpo para passear”. É sentir a energia do que acontece, prestar atenção no que lhe é dito e no significado além das palavras. Estar presente é ter sempre em mente que há sentimento e energia envolvidos em tudo aquilo que se faz. Conexão não é apenas interagir, é criar vínculo.

Agregue parte de si em tudo que você faz e as coisas se tornaram mais leves.

É importante tirarmos um tempo para meditar sobre onde estamos e para onde queremos ir, mas tire um tempo especial para isso, alguns minutos do seu dia e não o tempo todo. Viver o tempo todo no futuro só vai te deixar ansioso. Assim como viver no passado só lhe trará tristeza e sentimento de saudade. Aproveite mais seu agora.

Desde que comecei a pensar mais no agora, passei a me tornar uma pessoa menos ansiosa e cada vez mais realizada. Aprendi a saborear mais minha comida, sentir tudo com mais intensidade e descobrir mais sobre as pessoas com as quais convivo. Passe a apreciar mais o vento e os raios solares quando tocam sua pele, busque redescobrir as pessoas que ama e faça do agora um momento pelo qual você se sente agradecido.

Faça da sua presença, sua essência. 

“Só há um tempo em que é
fundamental despertar.
Esse tempo é agora.”
– Buda

Me acompanhe também nas redes sociais:

Facebook    Instagram    Snapchat   Twitter   YouTube

*Após ler o texto, repita as perguntas iniciais e as responda com os olhos fechados. Repita o exercício sempre que sentir necessidade.

Você está aceitando o amor que acha merecer?

Postado por - 05/05/2017

Comportamento, Textos   0 comentários

10455017_822618341106498_751382925835829400_oDesde cedo somos ensinados que o que vem fácil demais não é “bom o suficiente”. É como se pra algo se tornar especial, para “darmos o valor necessário”, devêssemos sofrer, dormir pouquíssimas horas e quebrar a cabeça pra conseguir. Talvez – T A L V E Z – isso seja verdade quando se trata de trabalho/carreira/negócios e vida financeira em geral, afinal, é maravilhoso ver um sonho seu se tornar palpável após um bom tanto de esforço, né? Tipo quando eu, finalmente, consegui comprar meu All Star cano alto aos 14 anos com meu salário de secretária/assistente em meio período do meu pai. Mas também pode ser maravilhoso ganhar presentes da vida, eu duvido você reclamar de ganhar uma viagem gratuita pra, sei lá, Chapecó e ficar triste durante a viagem por ter ganho ela sem perder, sequer, uma gota de suor (você vai é ficar fascinado por nossos diversos pontos turísticos, isso sim).

Algumas (várias) pessoas, confundem esse tal esforço quando o assunto é relacionamento também, como se o amor que viesse fácil demais (sem complicações) não tivesse tanta graça quanto os sofríveis e cheio de “luta”. Elas então começam a se relacionar, inconscientemente, com pessoas totalmente diferentes delas (e não to falando apenas de gosto musical/cinematográfico/literário), com modos de pensar completamente opostos. Então, começam a sentirem-se desconfortáveis no relacionamento e como se estivem sendo repreendidas por serem quem são – e realmente estão. Por exemplo, eu gosto de danças esquisitas, muitas delas às vezes são feitas em lugares públicos, como no meio da rua (ou no corredor do mercado) e seria completamente horrível pra mim se um possível parceiro meu se sentisse constrangido (e não dançasse junto) comigo ou olhasse com cara de desaprovação pra minha dança (que particularmente é fantástica – de tão ridícula).

Temos – eu, inclusive – de parar de nos reprimir por medo do que pensarão de nós, temos de parar de tentar nos encaixarmos em lugares que não nos pertencem, que não fazemos parte. Se desdobrar pra caber no mundo de alguém não é saudável, não é justo com o outro e principalmente, não é justo com você. Deixar de ser ou ofuscar quem se é para agradar alguém é esmagar-se por dentro, tortura pura! Se você anda se sentindo ansiosa(o) e passando nervoso com o relacionamento atual é porque algo não está se encaixando. E se não tá se encaixando é porque não é pra você.

Não estou dizendo que estas pessoas “erradas” são ruins, só estou dizendo que ela ou ele não é o certo: pra você. Um exemplo disso é que, certamente, existe algum amigo seu que você acha fodasticamente foda, mas que você sabe que vocês jamais dariam certo como casal e é até bem difícil de imaginar – é possível que você até tenha pensando nele agora e acrescentado a palavra “credo” no pensamento.

“Ah, Eve, mas tão bonito o rosto. Como vou ter certeza que ele não é o certo pra mim?”

Autoconhecimento, bitch! 

Só você pode saber o que é melhor e certo para você, confie mais nos seus instintos. Eu – lá vou eu me colocar como exemplo – adoro filosofia de bar, dessas cheias de perguntas sem respostas que não chegam à conclusão alguma, e adoro conversar por horas, então, é provável que eu vá passar horas ou dias (anos até) falando bobagens com alguém que me dê brecha e ame as mesmas coisas que eu. Possivelmente essa pessoa se torna-rá alguém interessantíssimo pra mim e vice-versa. Eu – de novo – não vejo problemas em sair com a mesma pessoa diversas vezes seguidas na mesma semana ou mandar memes sem sentido no meio do dia. Odeio joguinhos, nada contra quem gosta (mas pra quê, né?!), e é 99% impossível que eu dê certo com alguém que fique fingindo ter a agenda mais lotada do universo só pra não me entregar “as cartas do jogo”.

Eu prefiro deixar o “jogador” pra Maria, Joana, Francisca (ou seja lá quem for) que também gosta dos tais joguinhos e combina mais com ele, do que fingir estar tudo bem e “mostrar que também sei jogar” – até porque não sei. Pra mim, ausência é falta de interesse e ponto. Eu (e provavelmente você também) não tenho tempo ou paciência pra perder com gente que não merece – além do mais tenho aluguel pra pagar, né. Se for pra perder tempo com algo, que seja procurando freelas, escrevendo neste blog ou vendo vídeos de gatinhos no YouTube – aliás recomendo demais os vídeos do Sylvester.

Enfim, este texto é mais um daqueles que eu uso pra nos (no plural de eu e você) motivar, nos trazer de volta pra terrinha e nos lembrar que não existe ninguém mais importante pra nós do que nós mesmos. E todos devem nos tratar, no mínimo, como os MARAVILHOSOS que somos. Amar tem de ser fácil sim, tem de ser natural e único.  Se for pra passar momentos com alguém que seja pra ganhar tempo, que seja pra criar boas lembranças, trazer sossego, fazer carinhos e dar gargalhadas. Se formos inteiros, meias porções não irão nos bastar.

mon amour

Imagem topo: Sara Herranz

*Eu sei que meus textos sempre tão cheios de parenteses – e esses tracinhos que não sei o nome. Mas é que sempre que escrevo me imagino falando com um(a) amigx  na mesa de um bar e é assim que minha cabeça funciona.


de vez em quando
é que você encontra
alguém com uma
presença
e eletricidade
que combina com a tua
no
ato

– Charles Bukowski