Mon Amour

...

C’est la vie – Página quatro

Postado por - 26/03/2013

C'est la vie, Textos   9 comentários

BOU MYRIAM

Lá estava eu, extremamente envergonhada por minha antiga atitude. Eu dou um meio sorriso e digo “oi”, não consigo nem olhar para seus olhos. “Não se preocupe Fugitiva, não estou brabo” ele diz e isso soa como um alívio naquele momento, não por eu estar preocupada quanto a ele estar brabo, mas pelo gelo ter sido quebrado. É incrível como nossa conversa flui, lá estava eu no meio de uma “cena de filme” em que o rapaz salva a mocinha, que no caso estava ficando uma bêbada além dos limites. Mas nesse filme não existiam cavalos brancos, nem armas, vampiros ou motocicletas, era só um cara normal vestindo uma jaqueta de couro e um par de All Star. Uma amiga minha chega até nós e pergunta “vocês se conhecem?” ele concede com a cabeça. Ela conta que o conhece através da escola de inglês em que trabalha e pela qual ele havia feito o seu intercâmbio. Nós três conversamos mais sobre a vida, mas eu realmente não estou interessada em saber muito sobre ele, não quero saber muito além do seu nome e seu gosto musical. Mais tarde  ficamos a sós novamente, ele diz que pareço estar melhor hoje, que notou uma certa leveza no meu jeito de falar.

São quase 4 horas da manhã e o show já está no fim. Por algum motivo eu não quero ir pra casa, eu começo a gostar do que está acontecendo, meus amigos fazem o convite de estendermos a noite indo até um de nossos lugares favoritos da cidade, um ponto alto onde se consegue ver a cidade toda. É lindo lá de cima, tudo é tão iluminado, os problemas desaparecem. Faz frio e como sempre, resolvemos fazer uma fogueira, todos em volta dela, o silêncio prevalece e dessa vez não grita. Eu só quero olhar pras chamas e congelar aquele momento para sempre. Um dos meus amigos resolve acabar com o silêncio, “isso aqui está começando a ficar depressivo”, então ele vai até seu carro e liga o rádio. Entre o som de The Smiths, Monsters and Men, Coldplay e outras bandas, as pessoas começam a pegar no sono. Eu não, meus olhos continuam fixos nas chamas e nos rostos que elas iluminam. O dia já está amanhecendo quando ele pega em minha mão, é um aperto tão seguro que chega a ser confortável, eu começo então a me afundar nos seus olhos até que eles se fecham e nos beijamos. Ficamos ali por mais alguns minutos até o sol nascer por completo, todos levantam e resolvem tomar seus rumos, minha amiga me olha e dá uma piscada junto a um risinho que se traduzem “até que enfim”. Ele me convida pra ir até sua casa, eu vou. Ele prepara um café, se diz quase um viciado em cafeína, nós beijamos novamente…

Dessa vez eu não acordo sozinha em uma cama, mas o fato de não ser o Sr. “Costas Frias” me intriga, eu não havia estado na cama de mais ninguém depois dele. Alguns sentimentos, regados com o fato de ter encontrado a sua nova namorada ontem, me deixam paranoica. Então um sentimento de culpa toma conta de mim. O dono dos olhos profundos ainda está dormindo, aproveito e vejo isso como oportunidade, eu visto minhas roupas e saio com os sapatos nas mãos para não acordá-lo. E a “Garota Fugitiva” vem à tona novamente.  Quando estava abrindo a porta de saída do seu apartamento ouço um “hey!”, ele pega uma caneta em cima da mesa, vem até mim, escreve um número de telefone em minha mão e diz “em caso de um dia você querer ficar”.

(Imagem)

9 respostas para “C’est la vie – Página quatro”

  1. Mari disse:

    Olá querida, já estou seguindo seu blog, que é muito charmoso viu?

    Convido você e suas leitoras a conhecer o meu:

    http://toobege.blogspot.com.br/

    Beijinhos e tenha uma ótima semana!

  2. Dud's disse:

    oii,
    muito legal o texto, até fui conferir as outras partes. Já fiquei ouvindo o coldplay na cena ^^
    boa semana
    ;*

    • Evelise disse:

      Ai, que ótimo! :)
      Adoro saber quando se interessam assim, de verdade!
      Eu também sempre ouço algo do tipo quando escrevo..
      Boa semana pra ti também.
      ;**

  3. Monica Lisboa disse:

    Adorei o conto. O final de ‘se um dia você querer ficar’ impactou! Genial finalização. Estou lutando pra escrever um conto romantico, mas romantismo não faz meu tipo mesmo haha. Parabéns pelo texto.

    Beijo.
    http://www.estounanoia.blogspot.com

    • Evelise disse:

      Obrigada :)
      Logo eu posto a última parte..
      Eu apesar de não ter muito romantismo na minha vida, sou bem sonhadora e “criativa”, imagino mil e uma histórias na minha cabeça.
      ;*

  4. Manu disse:

    Nossa! Adorei a forma como vc escreve! Sensacional o texto, gosto mto desse tipo de leitura. Vou correndo procurar as outras partes e acompanhar, com certeza! ;)
    Adorei o seu blog, e ah, muito obrigada pela visita ao Cat Club!
    Beijos!

  5. Biih disse:

    Olá, Eve! Tudo bem?
    Que texto lindo! Talvez, um dia, ela queira ficar. :)
    Beijos!

  6. Maíra disse:

    aauhuaha, vc acredita que eu ainda não assisti entrevista com vampiro, preciso assistir urgentemente ahuahuah e sobre sombras da noite, eu adorei, mas achei que seria mais assustador ahuaha mas JOhnny depp é maravilhoso, então todo filme com ele fica maravilhoso :D ahuauaha

    já estou LOUCA pra saber o resto da história *-*
    contos assim queria que acontecesse comigo, acho tão romântico, tão delicioso esses romances assim do nada :DD

    adorei o conto!!

    beijos :*

  7. Nizer disse:

    Nossa,que lindoooo!
    Fiquei curiosa pra saber o resto!!!

    Curte contos de fadas?
    Flights and Dreams
    http://www.flightsanddreams.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *