Mon Amour

...

Meu pai, o domador de leões

Postado por - 09/08/2015

Textos   0 comentários

01
Eu sei que o fato de eu ter chego ao mundo mudou um pouco o rumo da sua vida e totalmente seus planos. Eu sei que eu continuei a mudá-los mesmo após ter crescido e que até mesmo os planos que você fez pra mim eu consegui transmutar. Se eu estou sentada na frente deste computador hoje conseguindo errar o mínimo possível dessas palavras em português é graças a você (a mainha também, é claro), graças à sua busca constante de tentar dar o melhor pra mim e pra minha irmã, então estou aqui para te agradecer.

Se tem uma coisa que você me ensinou melhor que tudo nessa vida, mais do que ter garra e ser persistente, é a nunca deixar de sonhar. Então obrigada pelas centenas de vezes que você alimentou meus sonhos quando criança dizendo que um dia iremos conquistar o mundo, obrigada pelas dezenas de vezes com que, mesmo sem entender muito minhas maluquices, você buscou me acompanhar (eu, a Kelli e a Mari pedimos desculpas por termos falhado como artistas, hahah) e principalmente pelas outras tantas vezes que você me viu tomar decisões que não pareciam certas pra você e mesmo assim tentou passar por cima do seu medo de me ver falhar, até mesmo do seu orgulho e disse apenas “quero que você seja feliz”.

Obrigada pelas vezes em que você me buscou de madrugada em festas quando adolescente (isso compensa as dezenas de vezes que você  se esqueceu de me pegar na escola quando criança); pelos empréstimos que serão certamente pagos, sem juros, um dia; por deixar nós comandarmos o rádio 80% do tempo quando estamos em viagem (mesmo que em 20% do tempo restantes você nos “obrigar” a ouvir seus dvds sobre saúde e/ou auto-ajuda); obrigada pelas aventuras, como quando você tentou ser nosso guia e quase fez com que nos perdêssemos na floresta, que hoje em dia rendem muitas risadas e pelas lembranças inesquecíveis, como os shows de Sandy and Júnior em que você me levou sem reclamar.

Pai, você não mata um leão por dia, como costuma dizer, você os doma. Matar leões não é uma tarefa tão difícil quando comparado a isso se tem de enfrentá-los cara à cara, conquistá-los e no fim ganhar seu respeito. Matar leões se torna fácil quando já se tem as armas certas, mas o que você faz, construir apetrechos do nada, isso sim merece destaque. Dizer que você é um herói é muito clichê, pois você não tem poderes excepcionais, você é apenas um ser humano cheio de erros e acertos, mas que certamente muitos adorariam ter como pai.

 

E você, tem alguma história engraçada com seu pai para compartilhar comigo?

Beijos e até logo,

Eve

ps: ainda estou tentando entender essa foto.

Surtada na Dieta!

Postado por - 07/08/2015

Na biblioteca   2 comentários

1

Olá, pessoas! Não sei se vocês já perceberam, mas infelizmente, o inverno está dando tchau. Aí, eu que odeio passar calor e por consequência terei que por minhas cambitas de fora, estou começando entrar num mini desespero. Num breve resumo; engordei bastante de um ano pra cá e agora tenho que correr atrás dos prejuízos, não apenas por questões de estética, mas de saúde também, pois me sinto bastante cansada fisicamente.

Enfim, há cerca de um mês e meio comecei então a ter mais consciência do que ando consumindo, cortei 80% o consumo de glúten da minha vida e diminui outras n coisitas mais. Como muitos sabem, fazer dietas e reeducações alimentares são mais difíceis no começo (todo mundo adora atrapalhar oferecendo “porcarias, só hoje”)  e que é onde todos aqueles seus maus hábitos terão de ser mudados e/ou reduzidos. Lá estava eu em meio a essa luta e eis que surge uma luz em forma de caixinha no correio; um livro lindo chamado Surtada na Dieta (coincidência? acho que não. Hahah).

Confesso pra vocês que quando eu li o título na capa pensei “é só mais um livro de auto ajuda que fala sobre chatices de dieta”, mas ao abri-lo essa minha ideia mudou totalmente. O livro na verdade é uma HQ toda linda e colorida que ilustra da maneira mais leve e divertida possível os “perrengues” por quais quem está de dieta passa.

Escrito e ilustrado pelo casal sul-coreano Caramel e Neonb, o livro narra a história de Sujee, uma garota divertida e simpática de 25 anos que sofre com seu excesso de peso. Ela tenta de diversas maneiras mudar sua atual situação, mas falha em todas elas. Sujee tem um chefe que sempre tenta desvia-la para o “mau caminho” das guloseimas (você provavelmente deve conhecer alguém assim) e muitas vezes ela acaba sedendo. É então que ela resolve procurar por ajuda profissional e se inscreve em uma academia, lá ela conhece o personal trainer Chan-Hee e outras muitas situações divertidas começam a acontecer. E mais, fora a história contada pelos quadrinhos, o livro é repleto de dicas sobre exercícios e nutrição.

2

0202

3

4

Gaspar comendo a fita métrica.

5

Eu li suas 317 páginas em menos de um dia e nem preciso dizer que adorei, né?! Surtada na Dieta – Quero Emagrecer – é o primeiro volume de uma trilogia e foi lançada no Brasil pela editora Conrad.

Alguém aí já tinha ouvido falar desse livro? Tem algum pra me indicar?

Beijos e até logo,

Eve

Zeitgeist – Phillip Long

Postado por - 24/07/2015

Música   0 comentários

11138599_845312918875698_3073552156959804922_n

Acho que seria impossível descrever em palavras o quão apaixonada pelo trabalho de Phillip Long estou. Eu juro que tentarei transcrevê-lo aqui pra vocês, tenho quase certeza de que não chegarei perto das minhas próprias expectativas, mas de qualquer forma irei tentar.

Phillip Long é brasileiro e, além de músico, poeta e eternamente apaixonado. Eu conheço o belíssimo trabalho dele  há um tempinho (“inho” mesmo, pois faz menos de um ano) graças a uma parceria linda dele com Phill Veras, mas nos últimos dias venho devorando-o. Imagina minha surpresa ao descobrir que esse trabalho que mal conheço (e já considero pacas) acaba de ser ampliado a mais um filho? Zeitgeist, o mais novo disco do cantor.

Zeitgeist é o nono trabalho lançado por ele em menos de quatro anos e, assim como os anteriores, é puro encanto. Lançado no dia 15 deste mês e com uma pegada leve, o disco é cheio de belas referências, como The Smiths e Legião Urbana. O álbum demonstra bastante singularidade já na primeira canção, Daniel, que narra à história de um rapaz que está amedrontado por não saber como as pessoas irão reagir ao saberem de sua opção sexual e que encontra no amor um aconchego pro seu coração.

O disco segue narrado de forma singela e cotidiana, com canções que vão além do “falar de amor”, mas que nos fazem senti-lo e nos transportam para dentro de nós mesmos. Os ritmos vão de mansinhos, como na encantadora Going With The Wild, à canções mais dançantes, como em Happiness Comes by Morning. Zeitgeist, como o o próprio título sugere, busca retratar os sinais do tempo correlacionando-os com o mundo exterior. Eu, particularmente, acredito que ele consegue nos demonstrar sentimento não apenas através do que nos rodeia e sim “tocando” em nossas próprias bagagens interiores. Concluindo, eu amei esse disco e poderia prolongar esse texto a mais de mil palavras, mas decidi parar por aqui e deixar com que vocês mesmos sintam o que só a música pode nos fazer sentir:

“…the last to go bed turn off the moon”

O disco está disponível para download no site oficial do cantor. Também não deixe de acompanhar o trabalho do moço através de sua página no Facebook.

Você já conhecia o Phillip Long? O que achou do trabalho dele?

Beijos e até logo,

Eve

 

Não é egocentrismo, é amor próprio

Postado por - 16/07/2015

Textos   0 comentários

tumblr_mt81mioY3K1qcsy25o1_1280

Para ouvir lendo

Pare de se colocar nessa situação de “vítima injustiçada”, você não é e nunca será esse ser trivial. Pare de achar que você merece ser tratado assim e que a culpa é sua por alguém estar mentalmente confuso e pouco se importando com você. Não aceite copos meio cheios e amores meio vazios; não aceite alguém que não seja, no mínimo, o melhor para você. Pare de achar que a culpa de nenhum relacionamento ter dado certo até agora é sua, ou de se forçar a estar com certo alguém por medo de não encontrar ninguém melhor logo à frente. Às vezes as coisas simplesmente são e não há explicação para elas.

Pense comigo: é mil vezes melhor um relacionamento não ter dado certo por você ser quem é do que ele ter dado certo com você fingindo ser alguém. Não se esforce demais para conquistar alguém e não fique camuflando seus defeitos, se permita! Criar um personagem utópico é fácil, difícil é manter esse padrão idealizado para sempre, isso apenas fará com que as surpresas consideradas boas acabem. Fingir ser algo que você não é servirá apenas para fazer com que um dia você acorde e não consiga reconhecer seu próprio reflexo no espelho, não se perca de você.

Mantenha a porta e janelas abertas apenas pra quem for encher sua casa de aconchego. Pra quem for te dar longos abraços nas horas difíceis e que mesmo sem saber o que falar vai demostrar estar ali para você; para quem for te alegrar mandando uma mensagem ou enviando um vídeo engraçado durante um dia esgotante no trabalho; fazer piadas bobas em um dos seus ataques de mau humor; não sentir tédio em simplesmente ficar em silêncio fazendo “nada” ao seu lado; que não vá te abandonar nos seus momentos mais malucos e esquisitos (como nas horas em que um ataque de risos surge quando não se pode rir); alguém que faça coreografias estranhas com você; que suporte ou durma ao seu lado ao ver mais um de seus filmes “chatos e parados” e diga que você é a pessoa mais linda da face da terra, mesmo você estando com uma febre de 40º e nariz escorrendo.

Eu sei que a vida muitas vezes é difícil de encarar e que quando a carência bate à porta é sem aviso, mas não se deixe levar. Não complete uma piscina de possibilidades com meio copo de nada só para não deixá-la vazia. Acredite que, assim como você já conseguiu seguir em frente em muitos perrengues da vida, você conseguirá deixar muitos outros para traz e que é melhor seguir sozinho do que andar acompanhado pela infelicidade.

Compartilhe momentos com uma pessoa que vá apreciar sua companhia tanto quanto você apreciar a dela; que enxergue a vida com leveza e que te trate como a pessoa mais importante do mundo. Espere que o respeito seja recíproco, que cada minuto ao lado desse alguém seja válido ao ponto de ambos sentirem-se especiais e merecedores com o fato de dividirem um pedacinho de suas vidas um com o outro. Que esse alguém ame suas pintinhas e cicatrizes estranhas, decore suas curvas, olhe nos seus olhos como Charlie olhou para o bilhete dourado e que sorria “tortinho” e sem jeito apenas por te ver chegar. E mais uma vez, que você não aceite nada menos!

“Você vai encher os vazios com as suas peraltagens
e algumas pessoas vão te amar por seus despropósitos”

                                                       – Manoel de Barros

Beijos e até logo,

Eve

Imagem